5.6.12

Vampires in History 4º


Passe uma semana com seu garoto, eu te chamarei de namorada
Se eu fosse seu homem, nunca te deixaria garota
Eu só quero te amar e te tratar bem








JB: Tudo bem, olha só ... Eu, Chay, Caitlin, Jasminie, Ryan, Chaz e Chris somos vampiros
VC: -olha sério pra ele- .... -ri feito louca-
JB: É sério garota, e dés que eu ti vi não para de pensar em você -opa saiu-
VC: Nossa, Justin conta outra você é um vampiro?
JB: Tudo bem então, posso te morder?
VC: Sim -sem animação-

- Ele vai chegando mais perto, já posso sentir sua respiração, eu olhei bem dentro dos seus olhos, eles estavam brilhando, eu tava paralisada ali, e ele cada vez mais perto, até que nós beijamos - 







Ele pediu passagem e eu cedi, o beijo dele era viciante, nos beijávamos com intensidade, eu ficaria fazendo aquilo para sempre, ele me puxou para mais perto dele, e meu beijou mais e mais. Depois de um tempo, ele parou encostou a testa na minha 
sem abrir os olhos, respiramos um pouquinho e ele voltou a me beijar - 

VC: Se você fosse mesmo um vampiro, teria me mordido -eu disse como se fosse obvio - 
JB: -me pega no colo- Vou te provar que eu sou um vampiro de verdade 

- Justin vôo comigo, um vento muito forte bateia em meus cabelos, logo ele me desceu em uma floresta -

VC: Porque me trouxe aqui? Ai que raiva de você garoto você é um ... 

Eu logo fui interrompida por um beijo, leve e doce, ele pediu passagem e eu cedi, começamos um verdadeiro beijo, cheio de ressentimento e desejo, logo suas mãos foram para minha cintura fazendo com que ele me puxasse mais para perto de seu 
corpo, e todo espaço que existia entre nos desapareceu.

JUSTIN ON

E num movimento rápido eu a beijei, eu não ia agüentar ela falando besteira, eu não ia agüentar ficar perto dela assim, eu pedi passagem e ela cedeu, puxei ela pela cintura, fazendo todo e qualquer espaço que existia entre nós desaparecer. Eu a encostei na arvore mais próxima, fazendo seu corpo se chocar conta o meu, enquanto ela me beijava e passava a mão pelos meus cabelos. Desci os beijos ate seu pescoço, senti ela se arrepiar, o que me fez soltar uma risada fraca, ela bagunçava meu cabelo carinhosamente, logo ela se livrou da minha jaqueta, eu segurei seu rosto com minhas mãos seus olhos tinham um brilho diferente.

[seu nome] on
 
Eu não sabia o que estava fazendo eu estava fora de mim, nunca tinha sentido algo tão forte. Ele me olhava dentro dos olhos, seus olhos eram de um mel intenso ele acariciou minha bochecha com o polegar, e sorriu, um sorriso lindo, um sorriso iluminado, nunca tinha visto ele sorrir daquele jeito, ele roçou seus lábios nos meus, pedindo para iniciar mais um beijo, eu encostei meu lábios nos dele, e ali se iniciou um beijo cheio de desejo, ele era um pouco mais veloz que o outro, ele passou a palma da mão levemente pelas minhas costas por debaixo da camisa. Eu levantei um pouco sua camisa e passe a mão pelo seu peitoral ate chegar a o seu abdômen definido arranhando lentamente, fazendo ele se arrepiar e rir um pouco, e levantei sua camiseta e logo me livrei dela também, ele me apertou mais ainda contra a arvore e pude sentir seu membro sob a calça. Gemi sem querer com isso, e ele riu outra vez.

Justin On

Eu já estava louco eu precisava urgentemente senti-la, precisava estar dentro dela, fazer dela minha e somente minha, assim que me livrei de sua camisa, ela deu um longo suspiro de medo (?), assim que senti o cheiro já identifiquei.

JB: confia em mim?- pergunte pra ela enquanto olhava dentro dos seus olhos.
Vc: Ela sorriu - sim, eu confio - ela disse ainda sorrindo.
Não estava acreditando no que estava prestes a acontecer ali, eu ia ser o primeiro e o único da (seu apelido), ela logo atacou meus lábios ferozmente ela arranhava minhas costas, eu não ia me controlar mais, meu único medo era machucá-la, mas ela confiou em mim. Eu a deitei no gramado acho que estava um pouco frio, vi seus pelos ouriçando, mais ela não tirava os olhos dos meus.

[Seu Nome] ON

Eu confesso que eu estava com um pouco de medo mais ele me passou a confiança que eu precisava, ele me deitou no gramado frio, mais eu não me importei nem um pouco, eu queria ele, precisava dele naquele momento, eu necessitava dele, logo nos livramos de nossas calças e sapatos, ele devorava meus seios, eu confiava nele sim, mais ainda estava com medo de seu instinto falar mais alto, mais por dentro mesmo eu não estava ligando nenhum pouco. Ele me beijou e passou a mão levemente pela minha coxa, ate chegar na parte de trás do meu joelho, ele voltou devagar ainda me beijando, pegou na barra da minha calcinha, ele colocou a mão dentro da mesmo me estimulando, nesse momento eu comecei a gemer alto, ele parou, e eu o estranhei, ele riu.

JB: Pronta?
VC: Sim

Ele retirou minha calcinha com delicadeza, nem parecia o mesmo Justin de sempre, ele abaixou sua Box preta e tirou seu membro para fora, ele se posicionou e olhou pra mim como se tivesse pedindo autorização, eu apenas assenti, ainda estávamos deitados debaixo de uma arvore com uma mão ele segurou minha perna e com a outra, segurou seu membro e me penetrou devagar, logo ele se apoiou na arvore que esta logo acima da minha cabeça, nunca senti dor tão forte, eu o apertei contra mim e arranhei suas costa com força, segurei sua pele a apertando num belisco forte, assim que ele estava dentro de mim por completo ele parou, minha respiração era descompassada e eu ainda sentia dor, senti um leve liquido se escorrer entre as minhas pernas, ainda sentia dor, ate que aos poucos a dor foi virando algo bom, dei dois tapinhas em suas costas, com sinal para ele continuar, ele fez seu primeiro movimento, doeu um pouco, mas quanto mais ele se movimentava mais a dor sumia e virava um prazer enorme.

Justin On

Eu fiquei com receio no começo, meu medo era machucá-la, ela ainda segurava minha pele me beliscando, logo depois senti dois tapinhas leves nas minhas costas, fiz o primeiro movimento devagar, mais eu não ia conseguir ficar daquele jeito por muito tempo, segurei com força sua perna, e me apoiei na arvore que estava logo a minha frente, comecei a acelerar meus movimentos assim que ouvi seus gemidos.
Ela gemia meu nome e pedia por mais, meus movimentos estavam rápidos, não queria por força e nem podia,iria matá-la aqui mesmo, pus toda aminha força na arvore em que me apoiava, já estava sentindo que ia chegar ao meu ápice, senti que ela também, senti ela estremecer, e seu liquido descer por completo, eu estava quase la, fiz tamanha força pra não machucá-la que acabei quebrando o troco da arvore, nunca tinha sentido nada assim com as outras garotas era normal mais com ela , assim que cheguei ao meu ápice senti algo frio sair de mim, ela estremeceu um pouco, e logo apertou meu corpo contra o dela, e me beijou, um beijo calmo e... Apaixonado.
Cai do lado dela, a respiração dela ainda era descompassada, peguei minha jaqueta que esta por perto, a abracei fazendo com que ela se deitasse no meu peito, cobri seu corpo com minha jaqueta preta, ela se aconchegou e não disse um palavra sequer.
Ficamos alguns minutos daquele mesmo jeito, eu olhava pro céu que havia apenas uma lua linda e brilhante, senti a respiração de Mel calma e seu corpo pesar um pouco, quando me dei conta ela estava dormindo, como um anjo.
Eu me levantei com cuidado para não acordá-la, vesti minha jaqueta nela e vesti minhas roupas, peguei as roupas dela, e logo em segui a peguei no colo, e corri com ela ate a sua casa.
Cheguei e abria a porta com cuidado, a levei ate o quarto e a deitei na  cama, a cobri, e fiquei por um momento olhando ela dormir, tomará que ela entenda o que esta acontecendo e principalmente o que eu estou sentindo, e o que eu acho que ela esta sentindo também, suspirei, e cariciei seu rosto, como algo tão angelical pode gostar de um monstro igual a mim?
Deitei ao lado dela, a abraçando, eu queria ficar assim pra sempre, são raras as vezes que eu durmo, fiquei a olhando mais um pouco e acabei dormindo.






 

3 comentários:

  1. mds o transa ne debaixo de uma arvore kkk mais ta otimo o teu imagine

    ResponderExcluir