13.8.12

Proibido - Cap 5






Dia seguinte

ao acordar fiz minha higiene e sai, dirigi até o banco, tirei uma grande quantia em dinheiro e segui para o hospital, dei toda a quantia que tirei do banco ao médico, com isso ele me forneceu um comprimido que me ajudaria na minha decisão, voltei pra casa e me joguei na cama...
depois de minutos Gio entrou em meu quarto.

Gio: oi princesa -beija minha testa- tudo bem?
Eu: mais ou menos 
Gio: o que foi sam? 
Eu: eu tomei uma decisão. 
Gio: qual?
Eu: eu vou tirar essa criança 
Gio: -arregala os olhos- você não pode tirar essa criança, você não tem esse direito.
Eu: eu vou tirar , e sim eu tenho esse direito, é meu filho/filha
Gio: você não vai fazer isso
Eu: vou sim 
Gio: espere aqui, eu já volto, não faça nada. -sai- 

ao vê-lo sair levantei da cama e fui ao banheiro, me despi , liguei o chuveiro e fiz exatamente o que o médico me mandou fazer.

Justin P.O.V


Papai e Daniel aviam saído pra trabalhar e eu também ia sair, então tinha que avisar a Sam que ela ficaria sozinha em casa, caminhei até o quarto dela e bati na porta 1,2,3,4 batidas 
e nada, por fim decidi entrar, não a vi no quarto então bati na porta do banheiro, como ela não deu sinal de vida abri a porta e quase cai pra trás com o que vi, Sam estava caída no 
chão em cima de uma enorme possa de sangue, junto ao sangue tinham pedaços , algo que não consegui identificar, sai de meus devaneios e a peguei em meus braços sem me importar
se me sujaria ou não. 

[ ... ]

após deixar Sam nas mãos dos médicos liguei pra papai  e Daniel avisando sobre o acontecido, e agora estamos aqui, esperando a mais de uma hora...

Dr: os pais de Sam Shay -chamou se aproximando- 
Daniel: somos nós -se levanta- 
Pai: como ela está Dr?
Dr: como vocês já deviam saber ela estava grávida de 2 semanas, ela fez um aborto e acabou tendo uma hemorragia.

não só eu como papai e Daniel ficamos chocados com tal notícia, como a Sam pôde fazer isso?

Pai: ela está bem?
Dr: sim, inclusive já podem vê-la
Daniel: obrigado Dr
Dr: vou levá-los até o quarto em que ela está. 

o seguimos até o quarto em que ela estava, papai entrou com Daniel e eu decidi ficar do lado de fora.

Sam P.O.V

a porta do quarto foi aberta e eu me virei vendo papai e Daniel entrarem.

Pai: minha princesa, você está bem?
Daniel: meu amor, como está?
Eu: eu to péssima 
Pai: está sentindo dor?
Eu: sim
Daniel: onde?
Eu: no coração
Pai: não to entendendo filha
Eu: -respirei fundo- eu vou contar a verdade mais por favor não me desprezem, não sintam nojo de mim
Pai: fale filha, estamos ouvindo
Eu: -fechei os olhos- eu sou apaixonada pelo Justin desde os meus 12 anos de idade, dias atrás ele me beijou e eu correspondi, depois decidi fingir um namoro com o Gio para tentar
fazer ciúmes a Justin e quando ele descobriu foi até o meu quarto e a gente acabou transando, 2 semanas depois descobri que estava grávida e sem sombras de dúvidas Justin era o pai, 
sei porque foi com ele minha primeira vez, senti nojo de mim por está grávida do meu próprio irmão então decidi tirar a criança, depois que fiz o que o médico mandou comecei a perder sangue , me senti fraca e quando acordei estava aqui.

falei por fim e finalmente respirei, papai e Daniel me olharam espantados e o medo tomou conta de mim , e se eles ficassem com nojo de mim ? e se me desprezassem? senti os braços
quentes do papai me abraçarem e as lágrimas dele molharem meu ombro, Daniel me abraçou junto a ele.

Pai: não vamos sentir nojo de você meu amor, não vamos te descriminar, não vamos fazer com você o que fizeram com a gente.
Daniel: e mesmo isso sendo errado por serem irmãos, iremos te apoiar em todas as suas decisões. 

meu coração se aqueceu e eu permiti que um sorriso nascesse em meio as minhas lágrimas, existem pais melhores que os meus? é, acho que não, ou melhor, tenho certeza que não.

Eu: obrigado, obrigado por não me julgarem, por ficarem ao meu lado, amo tanto vocês.
Pai: também te amamos princesa
Eu: podem chamar o Justin? preciso falar com ele.
Daniel: claro meu amor

eles saíram e segundos depois Justin entrou.

Eu: eu tenho que te contar uma coisa
Jus: fala -falou sentando-se perto de onde eu estava deitada-
Eu: -respirei bem fundo e fechei os olhos- o filho que eu tava esperando era seu e não do Giovane
Jus: o quê?  -perguntou chocado- me-meu?
Eu: sim -falei com lágrimas formando-se nos meus olhos-
Jus: então como pôde tirar o nosso filho? você não tinha esse direito
Eu: eu estava esperando, é claro que eu tinha esse direito
Jus: não, não tinha, era nosso filho, você tinha que ter falado comigo antes
Eu: me desculpa -falei já chorando- tente entender meu lado, eu estava confusa, com medo, você já tinha nojo de mim antes imagine quando soubesse que eu estava esperando um filho seu.
Jus: o que achou que eu ia fazer? -perguntou com os olhos lacrimejando- te bater, te forçar a tirar a criança?
Eu: não, eu... eu só não pensei direito, me desculpa 
Jus: eu nunca -pausa- vou te perdoar


falou por fim e saiu do quarto, tentei levantar pra ir atrás dele mais acabei caindo no chão, senti meu corpo todo latejar, mais fiquei ali, não me dei ao trabalho de me levantar
sentia-me um lixo, aliás, me sentia muito pior, agora pensando melhor, como pude tirar meu próprio filho? como pude?

[  ... ]


Pai: Justin -chamou papai assim que entramos em casa e o vimos descer as escadas-
Jus: o que foi?

perguntou grosseiramente
aviamos acabar de chegar do hospital e olhar pra Justin me trasia o melhor e o pior dos sentimentos

Pai: ajude sua irmã a subir as escadas 
Jus: por que o senhor mesmo não a ajuda?
Pai: porque vou preparar o almoço 
Jus: então manda o Daniel
Pai: ele vai me ajudar


Justin bufou e veio até mim, passou uma mão em volta da minha cintura e caminhamos até a escada, estava um pouco fraca o que dificultava um pouco caminhar, Justin praticamente me arrastava pela escada o que consequentemente me fez escorregar e cair batendo a barriga no chão, gemi de dor e Justin pela primeira vez no dia me olhou preocupado

jus: ai meu Deus o que eu fiz? -perguntou me pegando no colo-

ele me levou até o meu quarto e delicamente me deitou na cama, papai entrou e me olhou preocupado

Pai: o que foi meu amor?
Eu: dor, estou sentindo muita dor 
Pai: eu vou trazer um remédio pra você e já volto

dito e feito, não demorou nem alguns minutos e ele voltou me entregando um copo e um comprimido, tomei e me ajeitei na cama.

Pai: Justin, fique aqui e não saia até que sua irmã durma ou melhore
Jus: mais eu ia sair com a Soraia 
Pai: não me importo se você vai sair com a Soraia ou com a rainha da inglaterra, fique aqui com ela e não a deixe só me entendeu bem? -falou sério o que era bem raro- 
Jus: -suspira- certo

papai saiu e Justin se jogou na poltrona que tinha no canto do meu quarto

Eu: Jus
Jus: me deixa em paz
Eu: me desculpa, por favor, eu achei que você iria ser o primeiro a me apoiar na decisão de abortar o bebê
jus: eu já mais te apoiaria, você me privou de ver meu filho correndo pela casa, de ensiná-lo a jogar futebol, a conquistar garotas, me privou e brincar com ele, me privou de ser pai
-falou chorando e eu não estava diferente-
Eu: Jus eu... 

me calei, afinal o que falar? eu o magoei, matei o filho dele

Jus: você o matou Sam, ele era só uma criança inocente, não tinha culpa de nada, não tinha culpa pelos nossos erros
Eu: por favor nao me faça sentir pior do que já estou

falei chorando sentindo meu coração apertar até quase sumir do peito, levantei da cama e meu corpo todo reclamou, caminhei cambaleando até Justin e sentei em seu colo de 
frente pra ele, ele envolveu minha cintura e escondeu o rosto em meu pescoço e eu fiz o mesmo, choramos, choramos juntos...

depois de alguns minutos nos acalmamos, me afastei um pouco e o olhei nos olhos.

Eu: me perdoa
Jus: desculpa Sam, não dá
Eu: eu não posso viver sem seu perdão
Jus: então se mate, porque meu perdão você nunca vai ter.

falou me tirando de seu colo e levantando-se.
as pessoas as vezes deveriam pensar e rever o peso de suas palavras, puxei a poltrona até a sacada e a encostei no ferro da mesma, subi em cima do braço da poltrona e coloquei um pé em cima do ferro da sacada, senti o vento frio bater em meu rosto e me arrepiei, fechei os olhos e quando ia pular ouvi uma voz conhecida gritando.

Gio: Sam, não, não faça isso por favor

gritou lá de baixo

Jus: Gio você... Sam ?

falou Justin e ao me ver na sacada mudou o rumo de sua frase.
o tempo em que eu estava em devaneios foi o tempo para que Justin e Giovane entrassem em meu quarto junto a papai e Daniel

Eu: não se aproximem ou eu pulo 
Pai: filha, saia dai meu amor -pediu chorando-
Jus: Sam saia dai
Gio: Sam -se aproxima-
Eu: fique longe
Gio: eu não vou te impedir de fazer nada, só quero conversar

falou chegando mais perto e em um movimento rápido me puxou pelo braço apertando-me contra o seu peito


Eu: Gio -sussurrei chorando- 
Gio: pequena, por que tentou se matar
Eu: Jus -sussurrei novamente-

Gio se afastou de mim e foi até Justin o socando no rosto

Gio: isso é pra você aprender a não magoar a minha pequena seu canalha 

falou enquanto papai e Daniel me abraçavam 

Jus: o que ela fez foi bem pior

falou com raiva e saiu do quarto. 

[ ... ]


Dia seguinte

Justin P.O.V

o que estou fazendo afinal? por causa de mim minha pequena quase se matou, tudo bem que ela fez algo que pra mim está sendo difícil perdoar, mais eu a amo e isso não dá mais pra negar.
levantei de má vontade e fiz minha higiene, desci e papai já via saído pra trabalhar com Daniel, o café estava pronto, preparei uma bandeja de café da manhã, subi até o quarto da 
Sam que ainda estava dormindo, abri as cortinas vendo-a resmungar baixinho, ri e fui até ela desembrulhando-a

Sam: me deixa dormir papai -resmundou virando de barriga pra baixo- 
Eu: levanta pequena 

falei e ela assustou-se ao ouvir minha voz e acanbou caindo da cama

Eu: você tá bem?

a ajudei a levantar

Sam: e-eu to bem -falou corando e sentando na cama-

a entreguei a bandeja e ela corou ainda mais

Sam: o-obrigado ,mais porque isso?
Eu: é um pedido de desculpas por ontem, por causa de mim você quase fez besteira 

ela abaixou a cabeça e começou a tomar o café que eu avia trazido...

ao término do café peguei a bandeja colocando-a de lado e sentei de frente a Sam, a puxei colocando-a sentada em minhas pernas, com as dela em volta da minha cintura, ela corou e eu sorri 

Eu: você me desculpa por ontem?
Sam: sim -sorri-
Eu: eu queria te pedir outra coisa
Sam: o quê?
Eu: você aceita namorar comigo? eu sei que vamos ter que enfrentar muitas coisas pela frente mais quero enfrentá-las ao seu lado.
Sam: o-o que você perguntou?
Eu: quer namorar comigo? -repeti sorrindo- 
Sam: quero, quero, quero 

falou sorrindo e me beijou

Eu: eu ainda vou precisar de um tempo pra te perdoar, mais você entende né?
Sam: sim, e espero todo tempo do mundo pelo seu perdão 
Eu: eu te amo Sam
Sam: eu também te amo -sorri- 

...

passamos a tarde assistindo TV e brincando um com o outro, até da 20:00 da noite e papai e Daniel chegarem, preparam o jantar e nos sentamos a mesa, era hora de contar a novidade.


postei antes dos 15 comentários por que uma fofa pediu *-*
Loooriis Bieber : você tem que perguntar a dona do blog, que no caso não sou eu, tenho certeza que ela irá aceitar *-*
Anônimo: olha baby, eu não plagiei ok? a história é minha, vc já deve ter lido ela aqui no meu blog http://imaginebelieberjdb2011.blogspot.com.br/ , então já que postei lá e virei moderadora daqui, decidi apresentar essa história pra vcs, espero que tenha entendido.

6 comentários:

  1. Você esta Plagiando essa Imagine Belieber , eu Já Li ela em Outra Ib e sei o Final Dessa História e o começo Dela sei tudinho e sei até quem é a Autora é uma Menina Chamada Iza Da Ib :http://imaginebelieberjdb2011.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Amor, é a Iza que tá postando aquii . Pode perguntar o twitter dela é @Srta__Bieber (:

      Excluir
  2. Nossa ela é louca de fazer isso ? Espero que o Justin perdoe ela logo ... Continua amore *-* @CookieDoBieber

    ResponderExcluir
  3. Tá linda d+ !!!! >.<

    ResponderExcluir